Translate

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Revelações

Pensar, todos pensam, porque todos foram feitos pelo pensamento: papai pensou na mamãe... e olha o que deu¹ E assim, todos! (ou seria tolos?)

Tudo que fazemos nesta vida material, o pensamento está envolvido, porque, antes de fazer, pensa primeiro. Há os que não pensam nas consequências, ou vão fazendo coisas sem pensar, mas sempre pensam, nem que seja "naquilo".

Porém, ao que tudo indica, podemos ver tudo isso de uma forma bem diferente.

O texto abaixo, que intitulei "revelações", invoca algo que se pode fazer sem usar o pensamento; pelo menos penso (admito) que isto seja possível. São as revelações dentro do nosso íntimo.

O inusitado, para mim, foi a "reação do Sr. Manoel" (porta-voz das mensagens do livro Universo em Desencanto), quando submeti à sua avaliação este artigo. Isso, em 1976, quando eu começava a divulgar a Cultura Racional e eu precisava me certificar de que não estava escrevendo nenhuma bazófia, ou filosofia vã.

Eu tinha vários artigos para mostrar a ele, mas este, em especial, por causa da primeira frase: "eu sou aquele que não é".

Estávamos sentados à mesa na varanda da casa do Sr. Manoel, no Retiro Racional, e eu, trêmulo e inseguro, comecei lendo este artigo e, logo ao final da primeira frase, tirei os olhos do papel e olhei para Sr. Manoel, como que a esperar dele uma crítica.

Tremi, exultei, vibrei, sei lá o quê, quando percebi a sua aprovação com um leve aceno de cabeça afirmativo. Continuei lendo mais um pouquinho e nenhum outro artigo submeti a ele, porque percebi que estava tomando o tempo dele e aquilo que eu escrevia para divulgar a Cultura Racional, mesmo que não correspondesse às coisas como elas são,  serviria para lapidar e incentivar outras pessoas; avaliei o seguinte:

Se eu sou aquele que não é, o que eu estava fazendo ali? tomando o tempo dele, sem maior necessidade?

Tudo resolvido, continuei fazendo minhas ilações ao longo da vida, e hoje eu tenho provas e comprovações de que "aquele que é" (o ser real) foi justamente quem conduziu "aquele que não é", (o ser aparente) até me trazer de "corpo presente", raciocínio perante o Raciocínio Supremo, pois "aquele que é", somente eu pude perceber através destas revelações feitas no Livro Universo em Desencanto.

Deixo a seu critério outras ilações 

 

REVELAÇÕES


Eu sou, aquele que não é!

Eu sou um ser que se perdeu na degeneração das coisas!

Por isso, por ter-me degenerado tanto assim, é que nunca soube explicar o porquê era assim: sempre duvidando de tudo e de todos, mas nunca tendo a certeza do meu ser.

Que coisa mais horrível, agora percebo, ser assim como eu sou! Me olho no espelho e só vejo uma cara interrogativa, sempre perguntando, sempre duvidando e nunca respondendo. Só tinha paliativos. Paliativo quer dizer, demorar a dar resposta certa por não saber e sem nunca dar.

Que coisa mais horrível ser um livre pensador, sempre pensando, sempre pensando. Pensando no pensamento, pensando que raciocinava. Agora sei que se eu raciocinasse eu seria consciente e positivo, eu seria Racional.

Que coisa mais horrível não poder ver nem entender as coisas como elas são. Porque o pensamento ficava sempre pensando, sem nada descobrir ou entender de verdadeiro. Que entendimentos mais supérfluos e enganadores que eu tinha a respeito da Verdade!

Que coisa mais horrível a minha condição de existência! Uma ilusão tão grande que só agora no desencanto foi possível perceber o certo e como grande era a ilusão.

Penso, logo existo!

Era assim que eu me entendia como gente. Era assim como eu me imaginava para justificar o fato de ver as coisas assim tão misteriosas. Colocava no pensar todas as respostas que eu queria e saí pelo  mundo pensando, sempre pensando, mas nunca sabendo porque pensava assim, e nunca sabendo porque existia assim.

Se não sei porque penso, não sei porque existo!

Que coisa mais horrível ter que viver uma vida emprestada, num corpo de matéria que não é meu porque não sei quando será o meu fim! Uma vida que sei, agora, é aparente. Viver dentro das aparências sem nunca ter tido Alguém para me dizer que eu era aparente, falso comigo mesmo, falso com a minha natureza verdadeira. Sem nunca ter tido Alguém para me dizer que eu lutava contra mim, sempre contra, sempre me destruindo, nunca a favor.

E era por isso que o meu "ser" ia de mal a pior, por ser sempre contra. Mas eu era inconsciente, encantado, não podia perceber que estava me desgastando e que à míngua sempre ia até à extinção natural, que é próprio dos seres que se multiplicam em degenerações.

Que coisa mais horrível ver o meu passado cheio de desentendimentos, de desventuras. Somente compreendendo agora a razão de ser assim.

Ao compreender esta minha vida, porque me encontrei racionalmente, é triste, é penoso para mim olhar tudo aquilo que eu imaginava ser sem ser. Tudo que fazia, como sentia, chega a ser humilhante a minha condição de vida.

Eu me encontrei, repito, e sempre vou repetir e quero que todos se encontrem, para terem em si a perfeita convicção da sua verdadeira existência, para que todos possam ter o Conhecimento Racional dos livros Universo em Desencanto, do Racional Superior, que foi quem me fez perceber do que hoje estou revelando.

Era Ele que faltava para nos explicar tudo o que somos. Passamos tanto tempo à procura e eis que hoje é chegado de uma forma simples e clara, basta ler e reler, repetidas vezes, o livro Universo em Desencanto.

Por isso, é necessária a divulgação deste Conhecimento. E é por isso que eu me empenho, como muitos outros, na divulgação do bem, da felicidade Racional.

É realmente uma glória, chega a ser apoteótico, conhecer a expressão da verdade Racional, consciente e positiva. E só um Ser superior poderia nos fazer tais esclarecimentos. Somente um Ser que tudo criou, que tudo gerou, é que poderia nos dizer agora o destino verdadeiro da humanidade. Pois então é Ele que aí está, que aqui está, com provas e comprovações, o Racional Superior, o verdadeiro Deus, um Raciocínio Superior a todos os raciocínios. Uma Energia superior a todas as Energias.

E vivas, ao Racional Superior, que me revelou quem sou, de onde vim e para onde vou, como vim e como vou, porque vim e porque vou voltar ao meu Mundo de Origem, o Mundo Racional.